Emedix - Portal de saúde com informações sobre doenças, prevenção, tratamento, saúde no dia a dia, nutrição e qualidade de vida.
Imagens
Diretório de Saúde Dicionário Médico Medicamentos Genéricos Comunidades Virtuais
Saúde no dia-a-dia
linha
  Alimentação Saudável
linha
  Atividade Física
linha
  Saúde da Família
linha
  Vitaminas/Sais Minerais
linha
  Fitoterápicos
linha
Doenças e Prevenção
linha
  Artigos médicos
linha
  Perguntas & Respostas
linha
  Ponto de Vista
linha
Descobertas Científicas
linha
  Notícias da Semana
linha
  Arquivo de Notícias
linha
  Notícias Setor Saúde
linha
  Agenda de Eventos
linha
Variedades
linha
  Cartão virtual
linha
  Teste seu conhecimento
linha
  Pesquisas Online
linha
  Serviços ao Leitor
linha
sobre nós
linha
  Equipe
linha
  Colaboradores
linha
  Campanhas de saúde
linha
  Anuncie Conosco
linha
  Termo de Compromisso
linha
Desenvolvimento: Tecnoweb

Notícias Outubro de  2003

Fazer exercício físico pode manter as células mamárias funcionando bem
Fonte: Cancer, 06/10/03

Acrescente à lista outra razão para se exercitar, mesmo que só por algumas horas por semana: pode reduzir o risco de desenvolvimento de doença na mama, de acordo com os pesquisadores do Keck School of Medicine da University of Southern California and American Cancer Society.

Mulheres que se exercitavam tiveram um risco 35% mais baixo de desenvolver o carcinoma de mama in situ do que as mulheres inativas, segundo um estudo cujo autor principal é Alpa Patel, aluno de pós-doutorado da Keck School.

O carcinoma mamário in situ ou BCIS consiste de um número de células anormais confinadas ou nos ductos mamários (carcinoma ductal in situ) ou lóbulos (carcinoma lobular in situ). A maioria dos casos de BCIS são encontrados através de mamografias. Se não tradados, alguns BCIS se desenvolvem em câncer de mama invasivo.

"É difícil saber quais fatores são importantes em cada estágio da doença, já que esse conhecimento pode ajudar a criar intervenções ou meios precoces de detecção. Identificando o risco ou os fatores protetores para o BCIS, nós teremos a oportunidade de intervir um pouco mais cedo no processo do câncer," diz Leslie Bernstein, professora de medicina preventina da Keck School.

Bernstein e outros pesquisadores mostraram que a atividade física regular reduz o risco para o câncer invasivo, possivelmente ao reduzir os níveis dos hormônios femininos. Porém, as relações entre a atividade física e o rico para o BCIS não são muito bem compreendidos. Para este último estudo, os epidemiologistas estudaram mais de mil mulheres brancas ou afro-americanas entre 35 e 64 anos de idade no município de Los Angeles.

Eles entrevistaram 567 mulheres diagnosticadas com BCIS e as compararam com 616 mulheres sem BCIS baseados na raça e grupo de idade. Todas as mulheres se submeteram à mamografia após 2 anos da identificação. Os entrevistadores perguntaram às participantes sobre envolvimento em atividades físicas, tais como caminhada, corrida, dança e natação.

Os pesquisadores compararam as horas médias e a energia média gasta semanalmente por cada mulher na prática de exercícios desde que elas começaram a menstruar. Quando os pesquisadores ajustaram os fatores de risco para o câncer de mama conhecidos, eles descobriram que entre todas as mulheres, o risco de BCIS foi quase 35% mais baixo naquelas que relataram se exercitar comparadas com aquelas que eram inativas.

Os epidemilogistas dividiram então as participantes em 2 grupos: aquelas que tiveram mãe ou irmã diagnosticadas com câncer de mama e aquelas que não tiveram. Entre as participantes com nenhum histórico familiar de câncer de mama, o risco foi reduzido com o aumento de horas por semana de exercícios. As mulheres que se exercitavam mais de 4h por semana tiveram um risco 47% mais baixo para o BCIS do que as mulheres inativas. A atividade física não reduziu o risco para o BCIS entre as mulheres com histórico familiar de câncer mamário.

Os cientistas não estão certos de como a atividade física pode deter o BCIS. Uma teoria é que a atividade física diminui os níveis dos hormônios femininos. Exercício intenso pode alterar a função menstrual e baixar os níveis dos hormônios, tais como o estradiol e a progesterona, principalmente durante a adolescência.

Mesmo entre os atletas recreacionais, o exercício pode diminuir os níveis de hormônios, estender o período menstrual ou resultar em ciclos nos quais nenhum óvulo é liberado e também pode ajudar as mulheres na pós-menopausa a manterem peso mais baixo, que pode diminuir os níveis de estrogênio.

"Embora presumamos que a atividade física trabalhe através de meios hormonais para reduzir o risco para o BCIS, isso pode não ser um mecanismo importante para as mulheres que podem ter uma forma hereditária da doença," comenta Bernstein.

Alguns cientistas também supuseram que a força que impulsiona o sistema imune ou sua habilidade de aumentar a sensibilidade à insulina na prática de exercícios pode ser protetora.


Enviar a um amigo

[voltar] [topo]

Atenção: As informações contidas neste site têm caráter informativo e não devem ser utilizadas para realizar auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação. Em caso de dúvidas, consulte o seu médico.

Proibida a reprodução, distribuição ou publicação, parcial ou total, do conteúdo deste site estando o infrator sujeito às sanções legais cabíveis.


notícias 2003
Jan Fev Mar
Abr Mai Jun
Jul Ago Set
Out Nov Dez

Mais notícias:
1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015

+ notícias
marcador Vitaminas C e E podem aumentar efetividade da insulina
marcador Maior fluxo sangüíneo conduz a vasos mais saudáveis
marcador Medula óssea gera novos neurônios
marcador Vitamina C e peixe combatem enrijecimento das artérias[mais detalhes]
marcador Mantenha a pressão sangüínea sob controle
marcador Pesquisa esclarece o porquê das dietas ricas em proteínas ajudarem na perda de peso
marcador Estudo confirma relação entre exercício e mudanças no cérebro
marcador Chocolate é bom para o coração
marcador Déficit de sono aumenta quando se dorme menos de 6 horas
marcador Novas células cardíacas podem vir da medula óssea
marcador Usar maconha na adolescência pode resultar em déficit cognitivo
marcador Drogas anti-inflamatórias podem prevenir o câncer de mama
marcador As pessoas felizes podem ter mais imunidade ao resfriado
marcador Plantas comestíves de centros urbanos contém chumbo
marcador Exercício ao invés de dieta, pode ser a melhor defesa contra doença de coração
marcador Chocolate ultrapassa vinho tinto e chá em anti-oxidantes; pode ser uma escolha mais saudável
marcador Fazer exercício físico pode manter as células mamárias funcionando bem
marcador Pesquisa da Stanford University estabelece ligação entre o sono e a progressão do câncer
Home Saúde no dia-a-dia: Doenças e Prevenção: Pesquisas Científicas: Variedades: Sobre nós:
Contato Alimentação Saudável Artigos Médicos Notícias da Semana Cartão virtual Anuncie Conosco
Newsletter Atividade Física Perguntas e Respostas Arquivo de Notícias Pesquisas Online Equipe
Diretório de Saúde Saúde da Família Ponto de Vista Notícias - Setor de Saúde Testes e Curiosidades Colaboradores
Medicamentos Genéricos Vitaminas e Sais Minerais Comunidades Virtuais Agenda Serviços ao Leitor Termo de Compromisso
Dicionário Médico Fitoterápicos
Mapa do site
Desenvolvimento:Tecnoweb - Tel: (0xx21)2523-9108
Todos os direitos Reservados. 2000 - 2014 ®
Pesquisar
Inicio Newsletter Contato
Ecard Recomendar Twitter